Bons Hábitos

Os perigos do beijo na boca

Sugestão ao começar a namorar além de nunca abandonar a camisinha, procure o dentista da confiança de cada um e acompanhe o outro.

Não é a decisão mais agradável, mas nos dias de hoje beijar na boca pode ser fatal, beije no rosto, abraçe seja carinhoso com a pessoa isso substitui também o comportamento agressivo de algunsjovens que mais se asemelham a vampiros que a um casal elegante.

20 Junho 2010

Há tempo para todas as coisas: tempo de nascer, crescer, desenvolver-se culturalmente, profissionalmente, tempo de namorar para preparar-se para o casamento. Existe um tempo para tudo no decorrer de uma vida inteira de cada ser humano.

A nossa geração incorporou o hábito de sair “ficando” com as pessoas, no qual se podem beijar várias pessoas em uma única noite que normalmente são pessoas extremamente desconhecidas em uma balada.

Porém, este hábito de beijar na boca é visto pela maioria das pessoas como algo que é totalmente inofensivo, mas este hábito pode trazer complicações e vários perigos de transmissão de algumas, doenças e principalmente das sexualmente transmissíveis. As principais doenças que o simples ato de beijar na boca pode trazer são:

Vejamos quais são elas:

MONONUCLEOSE: é chamada de DOENÇA DO BEIJO, é transmitida pela saliva, seus sintomas são: fadiga, dor de garganta, tosse, perda do apetite e ínguas pelo corpo. Hoje é uma das doenças com maior número de incidência e a maioria das vitimas são os adolescentes .

GENGIVITE: a gengivite, por exemplo, teve sua incidência aumentada nos últimos anos, provavelmente em decorrência do hábito de FICAR. É uma infecção transmissível que provoca vermelhidão no contorno dos dentes, gengiva inchada e sangramento. Se não for tratada ela pode causar a perda dos dentes.

CÁRIE: de acordo com estudo publicado em 2006 no Britsh Medical Journal, beijar na boca várias pessoas aumenta em 4 vezes o risco de adolescentes contraírem meningite, uma infecção cerebral potencialmente fatal e também a tão famosa Cárie.

DST: as temíveis doenças sexualmente transmissíveis, também podem ser contraídas pelo beijo. Há risco de transmissão do vírus HIV, causador da doença AIDS, caso existam feridas ou sangramento na boca. O risco de transmissão do HIV através de beijo é maior em pessoas com piercing na língua ou nos lábios. Um beijo mais ardente pode provocar sangramento na região do furo, havendo o risco de infecção do vírus HIV se o sangue entrar em contato com a lesão bucal, corte ou carie. Outras DSTs transmissíveis pelo beijo são: Sífilis e Gonorréia.

Outras doenças que também podem ser transmitidas pelo beijo são: Amigdalite Bacteriana, Herpes Labial e as Hepatites A, B e C.

Por isso, este novo hábito considerado totalmente saudável no mundo atual, pode trazer alguns riscos, então vamos beijar, mas desde que seja conscientemente.

Por Paulo César Luciano
Fonte: Juad

Isso porque, a boca é a porta de entrada para várias doenças, causadas por vírus e bactérias que podem ser transmitidos com um simples beijo. Entre elas, a cárie, gengivite, candidíase, herpes labial e genital, tuberculose, hepatite, sífilis e gonorréia.

De acordo com o Cirurgião Dentista, Fernando Oliveira, para garantir um beijo despreocupado, hálito refrescante e se prevenir de doenças, o caminho é manter uma correta higiene bucal. “A pessoa com a boca saudável, sem lesão, não será contaminada caso o parceiro esteja com algum problema bucal. Para que a contaminação aconteça, é preciso haver a combinação entre a carga infectante em um dos indivíduos e a baixa resistência no outro”, afirma o Mestre em Periodontia e Doutor em Farmacologia pela Unicamp.

Uma doença grave causada por bactéria é a gengivite e as periodontites (infecções nas gengivas), que provoca vermelhidão, inchaço e sangramento da gengiva. “Se não tratada corretamente pode provocar a contaminação do parceiro e exacerbar outras doenças, através da corrente sanguínea”, adverte o especialista em doenças gengivais. A periodontite é um estágio mais avançado da gengivite, atingindo a região óssea do periodonto (em volta da raiz dos dentes), o que produz secreção purulenta nessa região podendo levar à perda dos dentes.

A falta de dentes pode levar à perda de outros, que ficam sem apoio. Pode provocar, ainda, problema de digestão ao sobrecarregar o sistema digestivo e até deformação da face. “Com a perda do dente ocorre a perda da estrutura óssea que segura a posição dos lábios e das bochechas. É preciso ter cuidado com a saúde bucal a todo o momento, porque ela dá longevidade ao aparelho digestivo e aumenta o tempo e a qualidade de vida”, destaca Fernando Oliveira.

Inflamações, como aftas e gengivite, sensibilizam a mucosa e facilitam a entrada dos microrganismos infectantes. “As doenças de maior risco de transmissão são o herpes bucal, em especial os com lesões ativas, e a mononucleose infecciosa, definitivamente transmitida pelo beijo”, avalia. Há ainda a candidíase bucal, que surge principalmente quando há uma baixa resistência. O risco de transmissão do HIV através do beijo na boca poderia ser maior entre as pessoas que usam piercing na língua ou lábios, mas só quando não houve cicatrização plena ou há sangramento no lugar do corte.

Uma má notícia para os beijoqueiros de plantão é que a melhor forma de se proteger com relação à transmissão de doenças pela boca é abstinência ou, pelo menos, uma boca mais controlada, evitando beijar muitas pessoas num pequeno intervalo de tempo. “Este cuidado vale para todas as pessoas que estão com sua saúde bucal em dia. Mas, para aquelas que possuam alguma ferida na boca, ele é determinante”, alerta o cirurgião dentista.

Conheça as principais doenças que podem ser transmitidas com o beijo

cárie: causada por bactérias, é a mais comum das doenças odontológicas. Para prevenir, basta fazer a higienização adequada, com escovação dos dentes e limpeza com auxílio do fio dental.

gengivite: trata-se da inflamação da gengiva que, quando não tratada, evolui para um quadro de periodontite. Gengivas vermelhas e sangrantes, raramente dolorosas, caracterizam a doença.

hepatite: há risco de transmissão do tipo B da doença, caso haja lesões e feridas na mucosa bucal

herpes: o vírus pode ser transmitido mais facilmente na fase aguda, quando está em plena atividade e deixa a boca cheia de pequenas bolhas.

candidíase: também conhecido como sapinho, caracteriza-se por áreas brancas na mucosa que, quando raspadas, deixam a região vermelha e sangrante.

mononucleose: popularmente chamada de doença do beijo, apresenta pequenas manchas vermelhas no céu-da-boca. Provoca o aumento do volume dos gânglios. Estes sinais costumam aparecer após um mês do contágio.

Reattor Comunicação
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s